História

por admin última modificação 29/01/2019 17h44
História da Câmara e do município de Condado

História da Câmara

Com a emancipação política do Município de Condado ocorrida em 18 de dezembro de 1961, a primeira legislatura da Câmara Municipal de Condado foi instalada em 15 de novembro de 1962. Os Vereadores empossados foram: Gentil Celestino (eleito o primeiro Presidente do Poder Legislativo Condadense), José Argemiro da Costa (Zé de Velho), José Urtiga de Sá (Zuquinha dos Correios), Cícero José dos Santos, Odilon Linhares de Araujo, Manoel Camilo de Andrade (Mestre Abelha) e João Batista dos Santos (Doca de Jozias).

A sessão solene de posse foi presidida pelo Juiz Eleitoral da 51 Zona  Dr. Neo Trajano da Costa. A primeira legislatura foi presidida pelo Vereador Gentil Celestino, eleito por cinco vezes consecutivas, haja vista que o regimento interno permitia a recondução para o mesmo cargo.

O Vereador José Urtiga de Sá apresentou na sessão ordinária do dia 22 de junho de 1966, projeto de resolução denominando a Câmara Municipal de Condado CASA MINISTRO JOSÉ AMÉRICO DE ALMEIDA.

Mais tarde, em 1992 a Câmara Municipal de Condado passou a ser denominada CASA ANTONIO PEREIRA DE SOUSA, homenagem ao Vereador Antonio Pereira de Sousa, falecido em 30 de dezembro de 1990.

Foram também homenageados os Vereadores José Urtiga de Sá e Gentil Celestino, com o nome do Plenário e da Galeria dos Presidentes, respectivamente, ambos já falecidos.

A Câmara Municipal de Condado teve a primeira participação feminina na quarta legislatura no período de 31/01/1973 a 30/01/1977, Maria Dalva Silva Ramalho e Maria Dalvani de Oliveira Silva.

A 13ª Legislatura foi instalada em 1º de janeiro de 2013 com mandato até 31 de dezembro de 2016. Atualmente a presidência da Câmara é ocupada pelo Vereador Francisco de Assis Araujo (Chiquinho do Correio).

Condado

História

No ano de 1931, quando o sertão da Paraíba já atravessava dois anos consecutivos de invernos fracos, a antiga Inspetoria Federal de Obras Contra as Secas (IFOCS), hoje DNOCS, mandou que seus técnicos viessem elaborar o projeto definitivo de construção de um açude público no Distrito de Malta, cabendo esta tarefa ao 2º Distrito daquela Inspetoria, então chefiado pelo Engenheiro-Geografo Leonardo Barbosa de Siqueira Arcoverde (Engenheiro Arcoverde).

A barragem teria lugar em parte da propriedade rural de Francisco Antonio de Assis (Chico Antonio), cujas terras foram deixadas como herança pelo seu pai e homônimo, conhecido como "Chico Antonio de Condado", falecido em 1906.
O velho Chico Antonio de Condado era casado com Joana Alves de Freitas, descendente da família de João Fernandes de Freitas, o fundador de Malta, enquanto que o seu filho de mesmo nome, conhecido por "Chico Antonio", falecido em 1951, era casado com Analia Formiga de Assis (Doninha).

Com a persistência da seca em 1932 o proprio Ministro da Viação e Obras Publicas José Americo de Almeida veio a Condado e outras cidades flageladas pela Seca. Em 23 de abril de 1932, José Americo acompanhado pelo Interventor do estado Antenor Navarro, com a equipe técnica da IFOCS e uma multidão de flagelados, ordenou a admissão de 1400 operarios das mais diversas categorias.

Naquele mesmo dia foram iniciadas as construções de pequenas casas, barracas e palhoças para abrigar os operarios onde hoje é denominada Rua da Cooperativa. Os primeiros Comerciantes a se estabelecer foram os Srs. João Rodrigues dos Santos, Severino Amaro de Queiros, Sebastião Rodrigues dos Santos e Cicero Gregorio de Lacerda. O principal construtor de casas de alvenaria foi o Sr. Francisco Formiga de Sousa (Chiquinho Formiga).

Logo no ano seguinte (1933) veio morar em Condado, no sitio Pedra Dágua, o Sr. Raimundo Matias, que mais tarde passou a ser um grande comprador de couros e de algodão, sendo ele um dos que mais contribuíram para o incremento do comércio local. Assim nasceu o Povoado de Condado, que mais tarde passou a ser chamado de "Rua Velha.

Geografia

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005[8] Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca.

Clima

Dados do Departamento de Ciências Atmosféricas, da Universidade Federal de Campina Grande, mostram que Condado apresenta um clima com média pluviométrica anual de 801.8 mm e temperatura média anual de 26.2 °C.

Comunicação

Emissoras de rádio

Símbolos

BANDEIRA DO MUNICÍPIO

BRASÃO DO MUNICÍPIO

Aniversário: 18 de dezembro de 1961

Gentílico: condadense

 

Lema: "o verde do sertão"

HINO 

Encravada no Alto Sertão
                                         Minha Terra querida está (bis)                                      
É Condado do meu coração
Para sempre eu quero te amar
 
Condado és meu céu
Condado és pomar
Quem tem frutos tão doces qual mel
E não param de sempre brotar
Condado tu me ensinas
És fonte do saber
Tuas águas são bênçãos divinas
Meu amor para sempre hás de ser.
 
Saudades das caçadas
Na serra do limão
No arco-verde pescarias enluaradas
Sob as bênçãos de São Sebastião
Depois ia me banhar,
No Riacho do Cipó
Pra Condado eu quero voltar
Vai saudade de me tenha dó.
 
     Composição: Amaury de Carvalho

 

Localização de Condado na Paraíba

Características geográficas


Área 280,913 km²

População 6.753 hab. IBGE/2017

Densidade 24,04 hab./km²

Altitude 241 m